Com foco no Centro de Portugal, Luís Couto, Administrador da TIPA, disse ao The Portugal News que a empresa foi “criada em dezembro do ano passado”. Luís Couto viveu no estrangeiro e, depois de regressar a Portugal, iniciou o seu negócio, mas durante o processo deparou-se com várias dificuldades.

O fundador da TIPA percebeu que o processo de abertura de uma empresa em Portugal é muito complexo, o que traz dificuldades para quem não tem experiência no setor. Luís Couto não foi o único a sentir dificuldades para começar a investir em Portugal. Ao The Portugal News o Administrador referiu que começou a ajudar voluntariamente alguns amigos que pretendiam iniciar um negócio em Portugal, pelo que Luís Couto sentiu que “não tinha plena capacidade para prestar esse apoio” a todos os que lhe pediam ajuda. Assim, Luís Couto encontrou a necessidade de reunir profissionais de outro setor, como a arquitetura, para o ajudar a ajudar outras pessoas.

A TIPA visa apoiar os investidores portugueses e estrangeiros, especificamente no centro de Portugal, uma vez que a TIPA é uma empresa recente e com “recursos limitados”. O foco do trabalho, durante os primeiros anos, será principalmente na região de Coimbra e Leiria. Atualmente, a empresa trabalha diretamente com os municípios, ajudando a investir em diversos projetos ligados ao turismo ou mesmo à qualidade de vida.

Investir em pequenas aldeias

Ao The Portugal News, Luís Couto referiu o mais recente trabalho da TIPA em Verride, no distrito de Coimbra. O objetivo do investimento é transformar a vila em “um lugar melhor para se viver e mais atraente”. Em casos como o Verride, a TIPA tenta criar um projeto para atrair investidores, pois a “informação não é estruturada”.

O principal objetivo do projeto é desenvolver de forma sustentável a região ou uma vila no caso de Verride.

Porquê o Centro de Portugal?

Luís Couto sente-se ligado ao Centro de Portugal por ser a região onde nasceu, ao The Portugal News o fundador da TIPA referiu que a maioria dos membros da equipa são também naturais de Leiria.

Luís Couto viveu no estrangeiro durante muitos anos, por isso olha para a sua terra natal de forma diferente, sobretudo depois de vivenciar diferentes realidades, que poderiam ser aplicadas em Portugal.

Quem quer investir?

Investidores, municípios e outros podem entrar em contato com a TIPA para obter apoio para seus investimentos. A trabalhar com Luís Couto há pessoas da sua “rede pessoal”, maioritariamente que vivem no estrangeiro e querem investir em Portugal. Além disso, há pessoas da diáspora portuguesa que pedem ajuda à TIPA para poderem investir no país onde, provavelmente, nasceram os seus pais.

Como será daqui a cinco anos?

A TIPA é um projeto “ambicioso”, procurando oportunidades e vendo problemas, não como desafios. Luís Couto refere que o objetivo é facilitar o que já é difícil e ajudar Portugal a melhorar e consequentemente o setor empresarial.